Investigação aponta que laranja de Lula foi sócio de dirigentes da “Campus Party”

COMPARTILHAR

Jonas Suassuna abriu no ano passado uma filial da Gol Mobile na Espanha, empresa usada aqui no Brasil em parcerias comerciais consideradas suspeitas entre as operadoras Vivo e Oi.

Nos registros da empresa disponíveis na internet, a Gol Mobile aparece vinculada aos empresários Francesco Farrugia e Tommaso Prennushi, dirigentes da Campus Party.

Suassuna teria usado seu grupo para enviar dinheiro para as contas bancárias de Lula e dos irmãos Bittar.

Para justificar os repasses foi criada uma “nuvem de livros”, aplicativo que disponibilizava uma biblioteca virtual aos clientes da Oi e da Vivo.

Usuários reclamaram de terem contas debitadas sem autorização.

uploads_1478278902184-jonas+suassuna+europa.png

Fonte: O Antagonista

 

 

 

Advertisements
Anúncios

Deixe uma resposta