Raquel Dodge mita de novo e diz que se STF anular prisão em segunda instância vai perder a credibilidade

COMPARTILHAR

A procuradora-geral Raquel Dodge defende que o Supremo Tribunal Federal (STF) mantenha a decisão de prisão após segunda instância. As informações são do Correio Braziliense.

Dodge diz que se o STF rever o tema será a perda de credibilidade nas instituições.

“Nossa agenda mais recente deve incluir a luta pelo fim da impunidade. Para isto, é necessário defender no Supremo Tribunal Federal o início da execução da pena quando esgotado o duplo grau de jurisdição, com a condenação do réu pelo Tribunal intermediário”, disse a procuradora-geral, ao participar da abertura do 34º Encontro Nacional de Procuradores da República, que acontecerá até domingo, dia 5, em Porto de Galinhas (PE),

Em outubro de 2016, o STF decidiu que é constitucional a execução da pena após segunda instância. Mas neste ano, os ministros Gilmar Mendes e Celso de Mello já indicaram que a Corte pode rever a decisão. E A Advocacia-Geral da União encaminhou um parecer ao Supremo, em outubro, pedindo que o plenário reveja a decisão.

Ela declarou: “O sistema de precedentes vinculantes adotado no Brasil exige que a decisão do Pleno do STF, que afirmou a constitucionalidade da prisão após a segunda instância, seja respeitada, sob pena de reversão da credibilidade nas instituições, como capazes de fazer a entrega da prestação jurisdicional de modo seguro, coerente e célere”.

 

Advertisements
Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. Esta mordomia é o maior crime perante os milhares de brasileiros que mal e porcamente ganham um salário minimo mensal.

    VOCÊ SABIA … – Se você ainda não sabia, agora vai saber que no STF tem:
    554 milhões de reais de custeio;
    11 deuses chamados Ministros;
    2450 funcionários;
    25 encanadores com salário de 11 mil reais;
    19 jornalistas com salário de 20 mil reais;
    223 vigilantes com salário de 8 mil reais;
    24 copeiros com salário de 6,5 mil reais;
    27 garçons com salário de 8 mil reais;
    58 motoristas com salário de 12 mil reais;
    12 auxiliares de desenvolvimento infantil, com salário de 25 mil reais;
    8 auxiliares de saúde bucal com salário de 22 mil reais;
    3 engraxates com salário de 3,8 mil reais;
    4 cabeleireiros com salário de 5 mil reais;
    1 decorador de interiores com salário de 17 mil reais;
    8 jardineiros com salário de 7 mil reais;
    11 auxiliares de cadeira (seguram a cadeira para o ministro sentar). Que tal?

  2. Aquele antro de canalhas e bandidos togados, muitos deles nem juízes concursados e de carreira são a não ser canalhas indicados por políticos safados, já perdeu a credibilidade faz tempo!!!!

Deixe uma resposta