A salvo em Madri, Ledezma fugiu da Venezuela para não ser morto por soldados de Maduro

COMPARTILHAR

ESPANHAAntonio Ledezma desembarcou no sábado passado em Madri. Ele está foragido de seu país de origem, a Venezuela.

Ele foi acusado de conspiração e formação de quadrilha. Nunca foi julgado, porém cumpria prisão domiciliar desde 2015.

Ledezma, prefeito da região metropolitana de Caracas, é opositor do ditador Nicolás Maduro. Foi informado que seria “sequestrado”. Decidiu fugir.

“Havia também a ideia de revogar o benefício de prisão domiciliar e levar-me ao túmulo. Acredito que, fechado no túmulo (…), eu não sou útil como posso começar a ser no exílio”, declarou à imprensa de Madri.

O político não pretende pedir asilo político na Espanha. Também não o fez na Colômbia, mesmo tendo recebido a oferta do presidente Juan Manuel Santos.

Os planos de Ledezma são outros.

Ele pretende ter uma permissão de residência na Espanha para deixar sua família protegida enquanto viajará pelo mundo para denunciar os abusos de Nicolas Maduro. 

 

Advertisements
Anúncios

Deixe uma resposta